I
n
s
c
r
e
v
a
-
s
e
Boas Vindas

Notícias

Em nosso mundo digital, será que os jovens perdem a capacidade de ler as emoções?

Habilidades sociais dos jovens podem estar em declínio, pois têm menos tempo para a interação face a face, devido à sua crescente utilização de meios digitais, de acordo com um estudo de psicologia da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). Cientistas da UCLA descobriram que uma turma da sexta série que ficou cinco dias sem nem olhar para smartphone, televisão ou outras telas digitais reconheceu substancialmente melhor as emoções humanas do que uma turma de sexta série da mesma escola que continuou a passar horas de cada dia vendo os seus dispositivos eletrônicos. 
"Muitas pessoas estão olhando para os benefícios dos meios digitais na educação, e não estão olhando para os custos", disse Patricia Greenfield, professora de psicologia na Universidade UCLA e autora sênior do estudo. "A diminuição da sensibilidade a estímulos emocionais - a perda da capacidade de entender as emoções de outras pessoas - é um dos custos do deslocamento de interação social pessoa-pessoa pela interação tela-tela, parece estar reduzindo habilidades sociais." 
Os psicólogos estudaram dois grupos de sexta série de uma escola pública do sul da Califórnia. No início e no final do estudo, ambos os grupos de estudantes foram avaliados quanto à sua capacidade de reconhecer emoções de outras pessoas em fotos e vídeos. Foram mostradas 48 imagens de rostos que estavam felizes, tristes, com raiva ou com medo, e logo em seguida os alunos foram solicitados a identificar os seus sentimentos. Eles também assistiram a vídeos de atores que interagem entre si e foram orientados a descrever as emoções dos personagens. 
As crianças que estavam sem os aparelhos eletrônicos melhoraram significativamente durante os cinco dias em sua capacidade de ler as emoções faciais e outros sinais não-verbais de emoção, em comparação com os alunos que continuaram a usar seus dispositivos de mídia. Os pesquisadores acompanharam quantos erros os alunos tiveram ao tentar identificar as emoções nas fotos e vídeos. Ao analisar as fotografias, por exemplo, aqueles que não tiveram contato com aparelhos eletrônicos obtiveram uma média de 9,41 erros no final do estudo, enquanto que no começo do estudo a média era de 14,02. Os alunos que continuaram a ter acesso a mídias registraram uma variação significativamente menor. Para os vídeos, os alunos que ficaram sem os equipamentos melhoraram significativamente em comparação aos alunos que continuaram a ter acesso.
"Você não pode aprender pistas emocionais não-verbais a partir de uma tela da mesma maneira que você pode aprender com a comunicação face a face", disse a principal autora, Yalda Uhls, pesquisadora sênior da UCLA Infantil Digital Media Center, Los Angeles. "Se você não está praticando a comunicação face a face, você pode estar perdendo habilidades sociais importantes." Greenfield, diretora do CDMC, considera os resultados significativos, uma vez que ocorreram depois de apenas cinco dias. 
Ela disse que as implicações da pesquisa são que as pessoas precisam de mais interação face a face e que, mesmo quando as pessoas usam a mídia digital para a interação social, elas estão gastando menos tempo desenvolvendo habilidades sociais e aprendendo a ler sinais não verbais. "A interação social é necessária para desenvolver habilidades em compreender as emoções de outras pessoas", disse Greenfield. Uhls comenta que emoticons são um substituto pobre para a comunicação face a face: "Somos criaturas sociais, precisamos de tempo livre de dispositivos", conclui.
FONTE: University of California - Los Angeles. (2014, August 22). In our digital world, are young people losing the ability to read emotions?. ScienceDaily. Retrieved August 27, 2014 from www.sciencedaily.com/releases/2014/08/140822094240.htm