I
n
s
c
r
e
v
a
-
s
e
Boas Vindas

Notícias

Crianças com TDAH tomam decisões mais limitadas devido a processos de aprendizagem menos diferenciados

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um dos transtornos psiquiátricos mais comuns entre as crianças em idade escolar. Os alunos com TDAH muitas vezes tomam decisões mais pobres do que os seus colegas não afetados. Pesquisadores da Universidade de Zurique descobriram agora que diferentes aprendizagens e mecanismos de tomada de decisão são responsáveis ​​por estes comportamentos, e localizadas as deficiências subjacentes no cérebro. 
Qual camisa vamos colocar na parte da manhã? Será que vamos dirigindo para o trabalho ou pegamos o trem? Fazemos centenas de diferentes decisões todos os dias. Mesmo que estas muitas vezes só tenham um impacto mínimo, é extremamente importante para o nosso desenvolvimento pessoal a longo prazo tomar decisões que sejam tão ideais quanto possível. No entanto, pessoas com TDAH muitas vezes acham isso difícil. Elas são conhecidas por tomar decisões impulsivas, muitas vezes escolhendo opções que trazem uma recompensa imediata mas menor, em vez de fazer escolhas que rendam recompensa maior porém mais tarde. Pesquisadores da University Clinics for Child and Adolescent Psychiatry, da Universidade de Zurique, agora revelam que diferentes processos de tomada de decisão são responsáveis ​​por essas escolhas abaixo do ideal e que estes se localizam no meio do lóbulo frontal. 

Modelos matemáticos ajudam a compreender os processos de tomada de decisão 

No estudo, foram examinados os processos de tomada de decisão em 40 jovens com e sem TDAH. Deitados em um scanner de ressonância magnética funcional para gravar a atividade cerebral, os participantes jogaram um jogo onde eles tinham que aprender qual das duas imagens transportava recompensas mais frequentes. Foram utilizados algoritmos de aprendizagem que originalmente surgiram a partir do campo de inteligência artificial para avaliar os dados, a fim de compreender os mecanismos de deficiência dos participantes com TDAH. Estes modelos matemáticos ajudam a entender melhor os mecanismos de aprendizagem e tomada de decisões. "Nós fomos capazes de demonstrar que os jovens com TDAH não têm inerentemente dificuldades em aprender novas informações, em vez disso, eles evidentemente usam padrões de aprendizagem menos diferenciados, provavelmente por isso as decisões não tão boas muitas vezes são feitas", diz o principal autor, Tobias Hauser. 

Imagiologia multimodal oferece vislumbres no interior do cérebro 

A fim de estudar os processos cerebrais que desencadearam essas deficiências, os autores utilizaram métodos de imagens multimodais, onde os participantes foram examinados usando uma medida combinada de ressonância magnética funcional (fMRI) e eletroencefalografia (EEG) para registrar a atividade elétrica e o fluxo sanguíneo no cérebro. Tornou-se aparente que os participantes com TDAH exibem um funcionamento alterado no córtex pré-frontal medial - uma região no meio do lobo frontal. Esta parte do cérebro é fortemente envolvida nos processos de tomada de decisão, especialmente se você tiver que escolher entre várias opções, e aprender com os erros. Apesar de uma mudança na atividade nesta região já ter sido descoberta em outros contextos para o TDAH, os pesquisadores de Zurique agora também foram capazes de identificar o momento preciso dessa deficiência, o que já ocorreu menos de meio segundo depois de um feedback, ou seja, numa fase muito precoce. 
O psicólogo Tobias Hauser, que agora está pesquisando no Wellcome Trust Centre for Neuroimaging, da Universidade de Londres, está convencido de que os resultados melhoram radicalmente a nossa compreensão dos mecanismos de comportamento de tomada de decisão prejudicada em pessoas com TDAH. O próximo passo será estudar as substâncias mensageiras do cérebro. "Se nossos resultados forem confirmados, eles vão fornecer pistas importantes sobre a forma como podemos ser capazes de projetar intervenções terapêuticas no futuro", explica Hauser.

FONTE: University of Zurich. (2014, August 21). ADHD children make poor decisions due to less differentiated learning processes. Science Daily. Retrieved August 27, 2014 from www.sciencedaily.com/releases/2014/08/140821090013.htm