I
n
s
c
r
e
v
a
-
s
e
Boas Vindas

Notícias

Treine seu coração para proteger a sua mente

Exercício para melhorar a nossa força cardiovascular pode nos proteger de prejuízo cognitivo com a idade, de acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Montreal e sua afiliada Institut Universitaire de Gériatrie do Centro de Pesquisa de Montreal. "Artérias do nosso corpo endurecem com a idade, efetivamente o endurecimento pode contribuir para as alterações cognitivas que ocorrem durante um período de tempo", explicou Claudine Gauthier, primeira autora do estudo. "Descobrimos que os adultos mais velhos cujas aortas estavam em melhores condições e que tiveram maior aptidão aeróbica também obtiveram melhor desempenho em um teste cognitivo. Portanto, acho que a preservação da elasticidade dos vasos pode ser um dos mecanismos que permitem o exercício de retardar o envelhecimento cognitivo." 
Os pesquisadores trabalharam com 31 jovens com idades entre 18 e 30 anos e 54 participantes mais velhos, com idade entre 55 e 75. Isso permitiu que a equipe pudesse comparar os participantes mais velhos dentro de seu grupo de colegas e contra o grupo dos participantes mais novos, que obviamente não começaram os processos de envelhecimento em questão. Nenhum dos participantes tinha problemas físicos ou mentais que poderiam influenciar o resultado do estudo. As aptidões dos participantes foram testadas mediante o esforço dos mesmos em uma máquina de treino e determinação do seu consumo máximo de oxigênio, durante um período de 30 segundos. Suas habilidades cognitivas foram avaliadas com a tarefa de Stroop. A tarefa de Stroop é um teste cientificamente validado que envolve pedir a alguém para identificar a cor da tinta de uma palavra, ou seja, a cor que a palavra foi impressa e não a cor que está escrita (por exemplo, a palavra vermelho pode ser impressa em tinta azul e a resposta correta seria azul). Uma pessoa que é capaz de nomear corretamente a cor da palavra sem se distrair com o reflexo de lê-la tem maior agilidade cognitiva. 
Os participantes comprometeram-se a fazer três exames de ressonância magnética: um para avaliar o fluxo sanguíneo para o cérebro, um para medir sua atividade cerebral enquanto executavam a tarefa Stroop, e um para realmente olhar para o estado físico de sua aorta. "Este é o primeiro estudo a usar a ressonância magnética para examinar os participantes desta forma", disse Gauthier. "Isso nos permitiu encontrar efeitos ainda sutis na população saudável, o que sugere que outros pesquisadores poderiam adaptar o nosso teste para estudar associações vasculares-cognitivas dentro das populações menos saudáveis ​​e casos clínicos." 
Os resultados demonstraram reduções relacionadas à idade na função executiva, elasticidade da aorta e da aptidão cardiorrespiratória, sugerindo uma ligação entre a saúde vascular e função cerebral, e uma associação positiva entre o condicionamento aeróbico e função cerebral. "A ligação entre aptidão e função cerebral pode ser mediada através da reatividade vascular cerebral preservada em áreas de mananciais periventriculares que também estão associados com a aptidão cardiorrespiratória", disse Gauthier. "Embora o impacto da aptidão na vascularidade cerebral possa, contudo, envolver outros mecanismos mais complexos, em geral, estes resultados suportam a hipótese de que o estilo de vida ajuda a manter a elasticidade das artérias, prevenindo assim danos cerebrovasculares, resultando em habilidades cognitivas preservadas até mais tarde na vida."

FONTE: University of Montreal. (2014, August 25). Train your heart to protect your mind. Science Daily. Retrieved August 27, 2014 from www.sciencedaily.com/releases/2014/08/140825084935.htm