I
n
s
c
r
e
v
a
-
s
e
Boas Vindas

Notícias

Sonolência excessiva pode ser causa de problemas de aprendizagem e de atenção na escola

As crianças que apresentam dificuldades na aprendizagem ou mesmo problemas de comportamento podem estar sofrendo de sonolência diurna excessiva. Investigadores da Penn State estudaram 508 crianças e descobriram que aquelas cujos pais relataram sonolência diurna excessiva (SDE) - apesar da pouca indicação de sono curto a partir de medições tradicionais - eram mais propensas a experimentar problemas de aprendizagem, atenção/hiperatividade e conduta do que crianças sem SDE.

Verificou-se que obesidade, sintomas de desatenção, depressão e ansiedade, asma e problemas para dormir relatados pelos pais contribuíram para a SDE, mesmo entre crianças sem sinais de diminuição do tempo de sono ou apneia do sono.

"A SDE pode ter um sério impacto no funcionamento cognitivo e comportamental no desenvolvimento da criança", disse Susan Calhoun, PhD, principal autora do estudo. "Quando as crianças são encaminhadas por problemas neurocomportamentais, elas devem ser avaliadas para fatores de risco potenciais para SDE. Reconhecer e tratar a SDE pode oferecer novas estratégias para se enfrentar alguns dos desafios neurocomportamentais mais comuns em jovens e crianças em idade escolar."

Calhoun disse que os pesquisadores ficaram surpresos que a maioria das crianças estudadas mostrou poucos sinais de sono curto, quando testada, e também que os problemas de aprendizagem, atenção e comportamento não tenham sido associados a problemas de sono. Ela disse que os pais e educadores são bons recursos para se determinar se uma criança parece excessivamente sonolenta durante o dia e que a queixa deve ser levada a sério. Pesquisas anteriores encontraram SDE prevalente em 15 por cento das crianças a partir de uma amostra da população geral.

 

Fonte: Academia Americana de Medicina do Sono. (2012, 01 de maio). Excessive sleepiness may be cause of learning, attention and school problems. Science Daily . Acessado 09 de junho de 2015 a partir de www.sciencedaily.com/releases/2012/05/120501085700.htm